Dizem que os avós são os pais com açúcar e deve ser verdade mesmo. Quem não se lembra dos simpáticos cúmplices acobertando as suas travessuras de criança e adolescência?

Quem tem avós ainda vivos é bom aproveitar cada minuto de aprendizado porque eles são um arquivo vivo de cada família.

Ter eles por perto é a chance de conhecer suas origens, os hábitos dos seus antepassados e compreender determinadas situações do presente. É também se divertir folheando o álbum de fotografias.

Na maioria das vezes, o resgate da história familiar gira em torno de um pedido de cidadania de outro país e a importância do estreitamento de laços entre gerações é deixada de lado.

Um livro que pode ajudar no registro da história da sua família é: “Vó, me conta a sua história?” de Elma van Vliet. Uma outra dica é você fazer um caderno de perguntas, tipo scrapbook para dar aos seus avós para eles responderem.

O diferencial deste tipo de presente é que ele volta para as mãos dos netos que se deleitam com histórias extraordinárias de vida.

Presença marcante

Quando investigamos a história de nossos avós, muitas vezes encontramos histórias de pessoas que enfrentaram muitas adversidades como guerras, fome, perseguições, crises econômicas, mas olhando por outro prisma, são histórias de muita coragem.

Eles nos dão a oportunidade de refletir sobre a resiliência e o otimismo no ser humano. Afinal, depois de tudo o que passaram, eles ainda estão aqui e muitos ainda ajudam na criação dos netos mostrando que são úteis.

Com o aumento da expectativa de vida e a tecnologia, os idosos de hoje tem um outro perfil, eles estão muito mais ativos.

Os avós de hoje praticam esportes, saem mais,namoram,  muitos voltam a estudar e até abrem um negócio próprio.

Um dia só pra eles

Uma tradição do século II entrou para o calendário de comemorações e ela tem a ver com os pais da Virgem Maria: Ana e Joaquim, os avós de Jesus Cristo.

Conta-se que o casal se sentia humilhado por não ter filhos, já que estavam casados há muito tempo.

Para obter a graça de ser pai, Joaquim jejuou e rezou no deserto por 40 dias, enquanto que Ana rezava sob um pé de louro. 

Um anjo apareceu para cada um avisando-lhes que teriam uma criança. Assim nasceu Maria, que segundo as escrituras, ela chegou livre do pecado original desde o primeiro momento de sua concepção.

Quando ela completou 3 anos, os pais em agradecimento, a levaram para o Templo, deixando-a ao serviço divino.

Mesmo sendo cultuados desde os primeiros séculos, somente em 1913, Ana e Joaquim conseguiram uma data no calendário cristão, dia 26 de julho, que passou a ser o Dia dos Avós.

Anéis de Santa Ana e São Joaquim

Podem dar um control C, control V ou copiar no caderno de receitas esta delícia que vai agradar toda família, além de ser um lindo presente para qualquer ocasião, afinal, Dia dos Avós é todo dia.

Massa de chocolate

325 g de manteiga ou margarina 

20 g de açúcar de confeiteiro

1 gema

400 g de farinha de trigo

35 g de chocolate em pó peneirado

Modo de preparar: Misture a manteiga e o açúcar até obter um creme bem fino. Junte a gema, a farinha de trigo e o chocolate. Amasse bem, embrulhe em filme plástico e leve à geladeira por 15 minutos.

Massa de canela

280 g de manteiga ou margarina

400 g de farinha de trigo

125 g de açúcar de confeiteiro

½ colher de chá de essência de baunilha

½ colher de chá de canela em pó

Modo de preparar: Misture com os dedos a manteiga e a farinha até ficar uma farofa. Junte o açúcar, a baunilha e a canela e amasse bem. Faça um rolo com 3 centímetros de espessura desta massa, embrulhe em filme plástico e leve à geladeira por 15 minutos.

Montagem dos anéis: abra a massa de chocolate na espessura em torno de 1 cm. Coloque o rolo da massa de canela sobre a massa aberta e a envolva como se fosse o filme plástico. Cubra este rolo com o filme plástico e retorne para a geladeira por mais 15 minutos.

Acenda o forno numa temperatura baixa. Corte o rolo em rodelas de 1 cm. A cada corte, mergulhe a faca numa água quente e seque . Asse num tabuleiro untado por cerca de 15 minutos.

Fonte: Inoni, Livro: “Santas Receitas” de Sônia Abraão, Editora Gente, Sâo Paulo, 2007

COMENTÁRIOS




Revista Ecos da Paz
Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.