Para os seguidores e irmãos em Cristo, Mãe Maria sempre acolhe todos com seu manto, uma proteção calorosa e azul.

Azul como a Terra, que agoniza diante da ganância, da devastação ambiental, da desigualdade social e de uma pandemia, que já matou milhares em todo mundo.

 

Diante da Covid-19, um dos filhos de Maria mais ilustre, o Papa Francisco, rezou o terço na  Gruta de Lourdes nos jardins do Vaticano acompanhado de diferentes categorias de profissionais que estão diretamente envolvidas na pandemia como os profissionais de saúde.

A cerimônia contou também com a presença de religiosos, uma pessoa curada de Covid e uma outra que perdeu um familiar, além de uma jornalista, um farmacêutico, representantes da polícia, dos bombeiros e uma jovem família na qual nasceu uma criança, que com o lastro da fé nos remete a vitória da vida sobre a morte.

terco com o Papa jardins vaticanos FotoVaticanMedia scaled - Papa Francisco pede a intercessão da Virgem Maria no combate à Covid-19
Papa Francisco num momento de reverência à Virgem Maria. Foto: Vatican Media

A fé potencializada

A oração na gruta de Lourdes foi  transmitida em Mundovisão, promovida pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização com o tema “Perseverantes e unidos na oração, junto com Maria (At 1,14)”.

O Papa Francisco uniu santuários em todo o mundo naquele momento de oração, que também pediam a proteção materna da Virgem Maria para enfrentar a pandemia.

O santuário de Fátima em Portugal, Lourdes na França, Guadalupe no México, Aparecida no Brasil, Luján em Buenos Aires, Rosário de Pompeia na Itália, Santa Maria dos Anjos em Assis (Itália), Chinquinquira na Colômbia, Imaculada Conceição em Washington, Elele na Nigéria, Czestochowa na Polônia, entre outros.

Um exercício de fé em que milhares de sentimentos e pensamentos estavam pedindo a cura; a proteção dos profissionais de saúde; a iluminação dos profissionais da ciência e sabedoria para os governantes de cada país.

A história da gruta

Esta gruta é uma réplica do Santuário de Lourdes na França, onde Nossa Senhora apareceu a Santa Bernardette Soubirus em 1858.

Ela foi uma iniciativa do Bispo de Tarbes, Dom Francesco Saverio Schoepfer, apoiada pelo Papa Leão XIII, graças a doações de todo o mundo.

Ela se encontra nos Jardins do Vaticano e foi um local planejado para o recolhimento e orações. Ela fica distante das áreas mais movimentadas do Estado da Cidade do Vaticano.

O altar da gruta também foi um presente de um Bispo de Tarbes-Lourdes, no ano de 1960. Trata-se do altar que esteve no local original das aparições marianas durante 50 anos.

Uma corrente de cura

Antes e depois de rezar o terço, o Papa Francisco fez duas orações para a Virgem Maria, que disponibilizamos aqui.

Antes do terço:

Ó Maria, vós sempre resplandeceis sobre o nosso caminho como um sinal de salvação e de esperança.

Confiamo-nos a Vós, Saúde dos Enfermos, que permanecestes, junto da cruz, associada ao sofrimento de Jesus, mantendo firme a vossa fé.

Vós, Salvação do Povo Romano, sabeis do que precisamos e temos a certeza de que no-lo providenciareis para que, como em Caná da Galileia, possa voltar a alegria e a festa depois desta provação.

Ajudai-nos, Mãe do Divino Amor, a conformar-nos com a vontade do Pai e a fazer aquilo que nos disser Jesus, que assumiu sobre Si as nossas enfermidades e carregou as nossas dores para nos levar, através da cruz, à alegria da ressurreição. Amém.

À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus; não desprezeis as nossas súplicas na hora da prova mas livrai-nos de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita. 

Após do terço: 

«À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus».

Na dramática situação atual, carregada de sofrimentos e angústias que oprimem o mundo inteiro, recorremos a Vós, Mãe de Deus e nossa Mãe, refugiando-nos sob a vossa proteção.

Ó Virgem Maria, volvei para nós os vossos olhos misericordiosos nesta pandemia do coronavírus e confortai a quantos se sentem perdidos e choram pelos seus familiares mortos e, por vezes, sepultados duma maneira que fere a alma.

Sustentai aqueles que estão angustiados por pessoas enfermas de quem não se podem aproximar, para impedir o contágio. Infundi confiança em quem vive ansioso com o futuro incerto e as consequências sobre a economia e o trabalho.

Mãe de Deus e nossa Mãe, alcançai-nos de Deus, Pai de misericórdia, que esta dura prova termine e volte um horizonte de esperança e paz.

Como em Caná, intervinde junto do vosso Divino Filho, pedindo-Lhe que conforte as famílias dos doentes e das vítimas e abra o seu coração à confiança.

Protegei os médicos, os enfermeiros, os agentes de saúde, os voluntários que, neste período de emergência, estão na vanguarda arriscando a própria vida para salvar outras vidas. Acompanhai a sua fadiga heroica e dai-lhes força, bondade e saúde.

Permanecei junto daqueles que assistem noite e dia os doentes, e dos sacerdotes que procuram ajudar e apoiar a todos, com solicitude pastoral e dedicação evangélica.

Virgem Santa, iluminai as mentes dos homens e mulheres de ciência, a fim de encontrarem as soluções justas para vencer este vírus.

Assisti os Responsáveis das nações, para que atuem com sabedoria, solicitude e generosidade, socorrendo aqueles que não têm o necessário para viver, programando soluções sociais e econômicas com clarividência e espírito de solidariedade.

Maria Santíssima tocai as consciências para que as somas enormes usadas para aumentar e aperfeiçoar os armamentos sejam, antes, destinadas a promover estudos adequados para prevenir catástrofes do gênero no futuro.

Mãe amadíssima, fazei crescer no mundo o sentido de pertença a uma única grande família, na certeza do vínculo que une a todos, para acudirmos, com espírito fraterno e solidário, a tanta pobreza e inúmeras situações de miséria. Encorajai a firmeza na fé, a perseverança no serviço, a constância na oração.

Ó Maria, Consoladora dos aflitos, abraçai todos os vossos filhos atribulados e alcançai-nos a graça que Deus intervenha com a sua mão omnipotente para nos libertar desta terrível epidemia, de modo que a vida possa retomar com serenidade o seu curso normal.

Confiamo-nos a Vós, que resplandeceis sobre o nosso caminho como sinal de salvação e de esperança, ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria. Amém.

Fonte: Aleteia, Arquidiocese de Cascavel, Vatican News

 

COMENTÁRIOS




Revista Ecos da Paz
Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.