Costumam dizer que a cozinha é a melhor parte da casa, pois é ali que as conversas são colocadas em dia entre provinhas, belisquetes, vinho, cerveja. Os aromas das comidas trazem lembranças da nossa vida: é o bolo da vovó, os almoços de domingo e por aí vai.

Contudo, na dura rotina de quem trabalha, quem consegue almoçar com calma é um felizardo (a)! E fazer das refeições um momento sagrado é uma tarefa difícil, pois se desligar do celular e das tarefas profissionais requer disciplina. É romper com velhos hábitos.

Na contramão dos fast foods, restaurantes e carrocinhas de comida que servem à uma multidão de apressados, um movimento adotado por alguns médicos nutrólogos tem despertado o interesse de quem quer ter uma vida mais saudável: é o “mindfull eating”.

Resgatando o prazer de comer

De acordo com o médico nutrólogo Leandro Silva Figueiredo, da Associação Brasileira de Nutrologia, o mindfull eating não é uma  dieta da moda, mas um treinamento para adquirir uma nova postura durante às refeições.

Ele esclarece que ao mastigar devemos prestar atenção à textura, ao sabor, aroma, o visual do prato, os sons do alimento na boca e até mesmo às sensações que aquela comida te proporciona.

Para a nutricionista Bianca Naves a prática traz benefícios para a saúde mental e emocional baixando os níveis de estresse e ansiedade. Além disso, é uma ferramenta importante no tratamento da obesidade e transtornos alimentares.

A partir do momento em que se presta mais atenção no que se come e mastigando devagar, a saciedade chega antes da última garfada. Além disso, esta técnica ajuda identificar os gatilhos que geram compulsões, garante o nutrólogo Leandro.

miojo - "Mindfull eating", uma técnica que vai mudar a sua relação com a comida
Apesar da galhofa do meme que percorre as timelines do facebook, o espírito é mais ou menos este aí. Experimente o método e nunca mais você comerá um miojo do mesmo jeito.

Inspiração budista

Os monges budistas praticam o mindfull eating desde sempre, pois já faz parte do seu modo de vida se alimentar de maneira mais lenta e reflexiva. A popularidade da prática pegou carona no movimento mindfullness, que é uma técnica de meditação adaptada para este mundo conectado e muito agitado que vivemos e a cada dia ganha mais adeptos.

Assim como o esporte, o mindfull eating também requer treino e os resultados são conquistados aos poucos. Quem adotou a técnica há tempos, garante que consegue praticá-la mesmo estando na balbúrdia de um restaurante lotado.

Para quem prepara as próprias refeições, a prática em si começa no preparo dos alimentos, como se fosse um ritual sentindo o aroma das ervas, as texturas das folhas e legumes, que ao final se torna um plano alimentar que ajuda a entender quando e como comer.

A nutricionista Bianca Naves sugere começar esta prática com o ritual do chá.

  • Procure um lugar silencioso para preparar e tomar sua xícara de chá.
  •  Escolha uma xícara que te agrade visualmente e que seja branca ou transparente, de preferência, para observar a transformação das ervas dentro da água.
  •  Coloque a água fresca em uma caneca, leve ao fogo e aguarde com tranquilidade as bolhas sendo formadas ao levantar fervura – tente ouvir o som das bolhas ou perceber o vapor saindo.
  • Despeje a água quente sobre as ervas frescas ou o sachê até completar a xícara, observe o líquido ganhando uma nova cor e prepare-se para os aromas que irão surgir.
  •  Respire profundamente enquanto aguarda o tempo de infusão adequado, aproveite para aguçar o paladar e procure admirar a bebida como se fosse provar pela primeira vez.
  •  Uma dica é usufruir deste momento para aquecer as mãos enquanto aguarda ficar na temperatura ideal para o consumo e procure notar algo novo sobre a cor ou a textura.
  • Intercale cada gole com respirações profundas e atenção ao momento presente. Enquanto degusta a bebida, opte por fechar levemente os olhos inspirando lentamente e permita-se apreciar todo o aroma proveniente das ervas do chá.
  •  Mantenha a mente tranquila e procure focar no momento presente e nas diferentes sensações até esvaziar a xícara completamente.

Fonte: Revista Casa e Jardim

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Revista Ecos da Paz
Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.