Não importa a idade, todos deveriam ser incentivados a ler e a jogar, seja um jogo de tabuleiro ou eletrônico. Estas atividades estimulam várias áreas do cérebro, como as responsáveis pela memória, emoções e cognição.

E com relação aos idosos, isto se torna de suma importância, além de promover uma interação entre eles.

A leitura estimula a imaginação, informações são gravadas e há também a necessidade de interpretação do texto.

Esta prática melhora o funcionamento do cérebro e a manter a cognição. E quando a leitura é alto-astral, ajuda a mantê-los longe da depressão.

Os jogos, por sua vez, nos fazem pensar em estratégias, aguçam a imaginação e a memória. Estimula a interação e caso exija um esforço físico, é sempre bom ter o monitoramento de um profissional de educação física.

Praticadas com frequência, estas duas atividades ajudam a retardar certas doenças degenerativas como o Alzheimer.

Dicas para uma boa diversão

A leitura nos transporta à mundos diferentes e de vez em quando nos identificamos com algum personagem.

Os livros mais indicados são aqueles que trazem histórias empolgantes, que nos prendem a atenção, como por exemplo: histórias de superação, de mistério e claro, as cômicas. Afinal, rir é o melhor remédio.

Com relação aos jogos, o xadrez é bastante indicado porque desenvolve a criação de estratégias, de prever o movimento do oponente.

Jogo da memória sempre foi visto como brinquedo de criança, contudo, eles são ótimos para estimular a memória dos idosos e tem a vantagem de poder jogar sozinho.

Caça-palavras, cruzadas e os quebra-cabeças físicos e também os digitais são ótimos para exercitar a concentração e a aprendizagem.

Fonte: Inonni

 

 

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Ecos da Paz
Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.