Cada casal de cães não castrado pode gerar cerca de 80 mil descendentes num período de 10 anos, um casal de gatos, cerca de 70 mil filhotes. Por mais que se façam campanhas de adoção, as entidades, ONGs protetoras de animais não conseguem dar conta, pois o crescimento desta população é espantoso.

A partir destes números, a castração tem sido adotada como solução ideal para o problema como também reduz o aparecimento de uma série de doenças das vias uterinas e órgãos genitais como câncer de mama, útero, próstata, testículos e infecções na bexiga, fim do risco das fugas e brigas com outros animais, assim como dos latidos, uivos e miados excessivos que ocorrem por ocasião do cio.

O procedimento também elimina a gravidez psicológica, comum em algumas fêmeas após o término do cio, o que ocasiona aumento das mamas, a produção de leite e irritabilidade excessiva.

A polêmica da castração

Existem mitos e verdades com relação à esta operação, que é bem simples e de rápida  recuperação. O termo castração se refere ao ato de incapacitar um indivíduo de reproduzir-se sexualmente, através da retirada das gônadas sexuais, que nos casos do macho são os testículos (orquiectomia) e nas fêmeas os ovários. Mas quando é realizada uma contração em fêmeas, geralmente retiram-se não só os ovários, mas também as trompas e útero, técnica que recebe o nome de ováriosalpingohisterectomia (OSH). Mesmo sendo um procedimento simples, é uma cirurgia com uso de anestesia e toda cirurgia envolve um risco, por menor que seja.

Os mitos mais comuns em torno do assunto são:

  • “Animais castrados engordam.”. Há um aumento do apetite após a castração, mas se houver um controle da ingestão de alimentos, haverá a manutenção do peso do animal;
  • “A castração tira a vivacidade do animal.” Isto ocorre apenas quando há um aumento de peso do animal.

Caso não seja um canil de criação, as vantagens envolvidas na castração são várias, como:

  • Evitar ninhadas indesejadas;
  • Redução do número de animais que vivem na rua;
  • Torna o animal mais saudável, pois reduz as chances do aparecimento de tumores e infecções nos órgãos reprodutivos. É muito comum o aparecimento de tumor de mama em cadelas idosas que não foram castradas;
  • No caso dos machos, uma diminuição da libido, resultando em um animal mais fácil de ser controlado;
  • Diminuição da agressividade do animal, passando a ser mais meigo, mas sem perder a vivacidade;
  • Quando o macho é castrado dentro do seu primeiro ano de vida, ele não irá demarcar território através da urina, não deixando cheiro de urina pela casa toda;
  • Evitar a transmissão de doenças geneticamente transmissíveis, como displasia coxo-femural, epilepsia, catarata juvenil, entre outras.

O melhor período para fazer este procedimento é 30 dias após a vacinação do filhote, quando a recuperação é mais rápida. Após os seis anos de idade, as possibilidades das doenças elencadas acima se manifestarem aumenta muito.

Serviço Gratuito

Não necessariamente a castração tenha que ser feita numa clínica veterinária particular. Prefeituras do estado do Rio de Janeiro costumam promover campanhas de castração. Em 2018, a prefeitura do Rio de Janeiro lançou o mutirão e castrou 780 gatos em seis etapas. Devido a grande aceitação do público, o projeto ganhou em 2019 uma edição por mês, dobrando o número de gatos castrados. Para que o seu gato tenha atendimento, o dono deve fazer um cadastro presencialmente  na Avenida Bartolomeu de Gusmão, 1.120, em São Cristóvão, na Zona Norte e deve apresentar comprovante de residência e CPF, tendo direito à castração de até três animais. As senhas são distribuídas a partir das 8 da manhã. Parte dos programas implantados pela Prefeitura do Rio para manter sob controle a epidemia de esporotricose (micose causada por um fungo que vive no solo e provoca sérias lesões em gatos, afetando também humanos), o mutirão contribui para a expressiva redução da quantidade de animais abandonados nas ruas.

No município de Belford Roxo, também no estado do Rio de Janeiro, a Secretaria de Meio Ambiente e a Secretaria Especial dos Animais realizaram um encontro com protetores de animais. Um dos objetivos foi debater projetos que serão lançados em breve, como o castramóvel, que atenderá a cães e gatos de todo o município. Outro ponto destacado foi a elaboração do estatuto dos animais, trará um grande avanço para a causa e garantirá a segurança aos pets. O estatuto ainda precisa ser aprovado pela Câmara de Vereadores. O secretário municipal de Meio Ambiente, Flávio Gonçalves, acentuou o caráter humanitário das ações em proteção aos animais. “Estamos elaborando políticas públicas duradouras para que os animais tenham mais segurança e bem-estar, evitando assim os maus-tratos”, resumiu.

COMENTÁRIOS




Revista Ecos da Paz
Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.