O projeto “Brasil de Tuhu” leva a iniciação musical para as escolas da rede pública e estas ações têm como base o Guia Prático do maestro Heitor Villa-Lobos, considerado um grande expoente da música na época do Movimento Modernista.

Este projeto é realizado pela Baluarte Cultura e está na estrada desde 2009 com patrocínio da Wilson Sons através da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cidadania. Até o momento foram visitadas 248 escolas públicas, em 41 municípios, de 13 estados brasileiros.

Além das aulas de musicalização, há também a apresentação de um concerto idealizado pelo compositor, arranjador e autor teatral Tim Rescala. O concerto é realizado por um quarteto de cordas, liderado por Carla Rincón do premiado Quarteto Radamés Gnattali, criado especialmente para a turnê, e a participação da atriz e cantora Verônica Bonfim.

O espetáculo também conta com a participação do boneco Tuhu que ensina noções básicas de ritmo, melodia e harmonia estimulando o aprendizado através de brincadeiras. O motivo dele se chamar Tuhu é porque Villa-Lobos quando menino adorava ver as locomotivas e imitava o seu som: “Tuhu!”

O repertório apresenta cantigas populares compiladas pelo maestro Villa-Lobos em seu Guia Prático, como “Fui no Itororó” e “Saltando como um Saci”, entre outras.

Professores entram no ritmo

Após os Concertos Didáticos os alunos ganham o gibi ‘O Brasil de Tuhu’, que conta a história de um jovem musicista e contém jogos de musicalização. As escolas que participam também recebem um kit com materiais desenvolvidos para auxiliar os professores em atividades de educação musical em sala de aula.

Mais de 500 professores e educadores já frequentaram as aulas da Vivência Musical. Ao saberem que receberão a visita do projeto, as diretoras das escolas  procuram dar informações sobre música clássica para seus alunos.

Muito mais que aprender a ler partituras, músicos e educadores afirmam que o “Brasil de Tuhu” ajuda a tornar as crianças mais disciplinadas, concentradas, além de estimular o processo de socialização e também quebra o preconceito em relação à música erudita.

O projeto tem um portal com conteúdo gratuito com videoaulas de regência, instrumentos musicais e musicalização infantil, parte delas com recursos de acessibilidade.

Para os educadores e estudiosos tem a Revista Tuhu, que traz reportagens especiais sobre o universo da música e da educação, e com o objetivo de homenagear grandes artistas e movimentos da música brasileira, como Elza Soares, Chiquinha Gonzaga, Pixinguinha, Cartola, Lia de Itamaracá.

No site tem também um mapeamento dos projetos que trabalham com educação musical no Brasil, revelando o público atingido e suas demandas. Para saber mais sobre os nomes da cena musical do momento há podcasts gravados na “Rádio Tuhu” onde a trajetória e repertório desses artistas poderá ser sempre lembrados.

E acompanhando as tendências tecnológicas, foi lançado um aplicativo de musicalização infantil com repertório 100% nacional. Ele é gratuito e está disponível para Android e IOS e traz quatro jogos que ensinam de forma lúdica as noções de elementos musicais como ritmo, harmonia e melodia, além de exercitar a memória dos pequenos. Para conhecer o projeto clique aqui.

 

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Revista Ecos da Paz
Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.