Portulaca oleracea, mais conhecida como Beldroega.

Ninguém dá nada por ela, chamam de mato, erva daninha, mas saibam vocês que esta PANC tem sido objeto de estudos nas universidades brasileiras.

PANC significa plantas alimentícias não convencionais, quer dizer, você pode comer, preparar da mesma forma que uma verdura comum, assim como o espinafre.

Só que estas plantas foram sendo esquecidas pela população, deixando de ser comercialmente valorizadas porque elas têm a aparência de mato, de erva daninha.

E de uns tempos pra cá é que elas estão sendo resgatadas e até os restaurantes estão lançando mão destas belezuras pra dar um toque especial em seus pratos.

Voltar a plantá-las é fundamental para mantermos a nossa biodiversidade, além de podermos descobrir mais sobre os seus nutrientes.

Entrando na galeria das famosas

As PANCS mais conhecidas são a taioba e a ora-pro-nobis. E a Beldroega tem os holofotes sobre ela por ser uma grande aliada no combate e no controle do diabetes tipo 2.

A diabetes é uma epidemia silenciosa, já virou um caso de saúde pública MUN-DI-AL, que merece muita atenção. 

De acordo com o Atlas do Diabetes da Federação Internacional de Diabetes, o Brasil ocupa o quinto lugar de país com mais portadores de diabetes tipo 2, perdendo para China, Índia, Estados Unidos e Paquistão.

Neste ano de 2021, a Sociedade Brasileira de Diabetes através do Censo de Diabetes descobriu que temos mais de 12 milhões de brasileiros com esta doença. Chegou-se a este número através do Censo do IBGE de 2010. E o pior de tudo é que este número tende a aumentar.

E há também os pré-diabéticos, que de acordo com estudos de especialistas, este grupo está mais sujeito a sofrer um infarto ou ter um AVC que aqueles que mantêm o nível da glicose normal.

E se levarmos a uma escala mundial, são mais de 400 milhões de pessoas portadoras de diabetes 2.

O aumento desta doença se deve ao estilo de vida que levamos e ao tipo de alimentação que estamos consumindo. E a obesidade é uma das causas para o aparecimento do diabetes tipo 2.

portulaca oleracea gd2c18f8ae 1280 1024x768 - Beldroega, uma PANC no combate à Diabetes
Beldroega se caracteriza com suas bordas avermelhadas. Foto: Pixabay

Como identificar?

Existe uma confusão entre Beldroega e a Onze-Horas.

A onze horas é uma planta rasteira, que se alastra com facilidade e dá flores coloridas e as suas folhas são gordinhas.

Já a Beldroega é uma portulaca oleracea, tem flores amarelas, mas as suas folhas têm a borda avermelhada.

As que são chamadas de onze horas NÃO SÃO COMESTÍVEIS, tá! 

As portulacas é que são e as suas folhas podem ser pontudas como uma lança ou arredondadas. Fiquem ligados nesta diferença, ok?

A beldroega carrega um bom estoque de ácidos graxos, de Ômega 3, fibras, vitamina A, C, vitaminas da família B, além de ferro, manganês e potássio.

As folhas desta planta tem 8,5 miligramas de ômega 3 para cada grama. Este elemento faz bem pro coração, logo, comer beldroega torna o seu sistema cardiovascular mais forte.

Ela pode ajudar também na diminuição da pressão arterial graças ao potássio que ela tem.

Tem também os antioxidantes como as vitaminas C e A, que ajudam a prevenir os cânceres pulmonares e orais. E traz também compostos do pigmento betalaína, que impedem que os radicais livres infectem as células boas e saudáveis.

Aqui no Brasil, diversas universidades e órgãos de pesquisa como a Embrapa se debruçam sobre esta planta para descobrir ainda mais sobre o que ela pode contribuir para nossa saúde.

Um estudo da Universidade do Rio Grande do Sul revela que as suas folhas são usadas contra cistite, cólicas renais, queimaduras e úlceras. 

As sementes são consideradas diuréticas e acabam com os vermes.

Em relação a diabetes tipo 2, uma infusão de suas folhas e ramos se comporta como um tônico e depurativo do sangue. Esta mesma infusão usada de modo externo, ajuda na cicatrização das feridas. 

Um estudo publicado no Journal of Medical Food revelou que a beldroega reduziu significativamente a glicemia pós prandial, que é o nível de glicose no sangue depois de um tempo determinado após uma refeição normal.

Ela também proporciona reduções de peso corporal e do nível de gordura no corpo.

Um estudo no National Library of Medicine mostrou que os pacientes que receberam uma suplementação de 180mg/dia de extrato da beldroega por 12 semanas comparado com quem ingeriu placebo,  mostrou melhora dos níveis de açúcar no sangue em 44%. 

E ainda, houve uma queda na insulina de jejum de 21% e redução no índice  de resistência à insulina de 20%.

Quer dizer: reduziu a resistência da célula à insulina, isto é determinante para a retirada de açúcar no sangue e para queima de gordura no corpo. E por ter muita fibra, ela dá uma sensação de saciedade.

Suco verde com beldroega

Ingredientes: 1 xícara de beldroega. Use as folhas e talos, meio limão cravo ou limão comum e metade de uma maçã .

Bater no liquidificador e não é necessário coar.

 

RECOMENDAMOS






Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.