Intuição …é aquela voz interior que dispara como se fosse um flash, mas a grande questão é: seguir ou não segui-la.

Imaginem um quarto escuro em que você tem que entrar e encontrar um gato preto que pode nem estar lá. Era assim que Charles Darwin descrevia o ambiente de trabalho dos matemáticos. Quer dizer, a intuição dá objetividade e ajuda a não perder tempo buscando respostas que não existem.

Diante de um mar de equações e cálculos, Albert Einstein se valia da intuição, que para ele era uma aptidão estranha ao seu universo racional, mas muito eficaz.

No início do século 20, ele causou uma revolução ao descrever sua Teoria da Relatividade em que espaço e tampo são relativos e estão interligados.

Respeitado no meio acadêmico, ele dizia: “Não existe nenhum caminho lógico para a descoberta das leis elementares, o único é o da intuição.”

Alguns cientistas brasileiros afirmam que um bom cientista sabe dosar a razão com a intuição.

Será uma questão de fé?

Sim, porque intuir é acreditar. No mínimo em você mesmo. Não existe intuição sem fé e sem autoconhecimento. O curioso é que ela precede o pensamento lógico.

Apesar da intuição nada ter a ver com religiosidade, as pessoas que confiam mais no instinto são mais propensas a serem religiosas, segundo o psicólogo Amitai Shenhav.

Ele diz que há algo na composição cognitiva dos humanos que promove a crença num ser superior, que é uma tendência natural de enxergar um propósito por trás de eventos aleatórios com base numa necessidade de reduzir as incertezas da vida.

Nem sempre foi assim esta separação entre razão e intuição, durante a Idade Média, o homem cultivava uma relação vertical com o divino graças ao caráter sagrado que era dado à natureza.

Mas quando o homem começa a querer dominá-la, o homem rompe o laço com o sagrado e se inicia o processo de desenvolvimento da ciência moderna como conhecemos hoje. A partir daí o lado racional assume um papel preponderante.

Uma aptidão que todos têm

A conexão com a natureza apura a percepção da direção a ser seguida. E não tem nada de anormal estes sinais internos que recebemos, mesmo que não tenham lógica alguma. A intuição faz parte da natureza humana.

A publicitária Sandra Othon costuma dizer a seguinte frase: “De acordo com a psicóloga só dá pra confiarmos na intuição de olhos fechados quando aprendemos a separá-la dos medos e desejo.

Sandra afirma que é melhor acreditar naquela percepção ou sentimento do que desprezá-lo e depois verificar que errou. É a famosa frase: “Por que não segui minha intuição?

Muitas das vezes a intuição causa alguma reação física. Para ela é o mau humor, em outros o coração dispara e sente uma grande ansiedade de comprovar o insight, e para você como ela se manifesta?

Fonte: Revista Bons Fluídos

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Revista Ecos da Paz
Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.