Quem não quer viver o seu maior sonho? E nada como boas histórias para nos inspirar e também nos divertir.

Separamos quatro animações que retratam realidades distintas, mas com um ponto em comum: não sucumbir à tristeza, aos desafios e às imposições da sociedade.

Nesta seleção há curtas e longas-metragens, alguns sem diálogos, mas com imagens que dizem tudo.

Uma delas foi realizada no Paquistão, onde não há incentivo algum para a indústria cinematográfica e mesmo assim, o resultado foi impressionante. Bora conferir?

Canvas

Curta-metragem americano dirigido pelo estreante Frank E. Abner III conta a história de um avô que após a morte da esposa perdeu a vontade de pintar seus quadros.

O ambiente de tristeza vai mudando aos poucos graças as visitas frequentes da sua filha e sua neta, que se revela a grande incentivadora para ele dar a volta por cima. Sem dizer uma única palavra, o tema da perda é abordado de maneira comovente e delicada.

O filme levou seis anos para ficar pronto e pode ser assistido na plataforma Netflix.

Sitara: Sonhando com as estrelas

Uma animação paquistanesa da cineasta e ativista Sharmeen Obaid-Chinoy, premiada com dois Oscars na categoria de curta-documentário com os filmes “Uma garota no Rio: O Preço do Perdão” e “Saving Face” nos anos de 2012 e 2016.

O filme conta a história de uma menina que sonha em ser piloto de avião, mas o seu pai já traçou um outro destino para ela: um casamento arranjado com um homem bem mais velho.

A trama se passa no Paquistão da década de 70, mas continua bastante atual. Mesmo sem diálogos, Sharmeen consegue alertar através da arte, o quanto as meninas têm os seus sonhos destruídos por convenções sociais.

O making of acima (com legendas em inglês) dá um pequeno panorama das dificuldades enfrentadas para a realização deste curta. Sitara foi lançado no dia 8 de março de 2020, no Dia Internacional da Mulher e pode ser assistido na Netfilx.

Ganha-pão

Este longa de animação é uma co-produção entre Irlanda, Canadá, Luxemburgo e EUA sob a direção de Nora Twomey com produção executiva de Angelina Jolie.

Lançado em 2017, o filme traz a história de Parvana, uma menina afegã de 11 anos moradora da capital Kabul, governada pelos fundamentalistas do talibã.

Parvana trabalha com o pai no mercado e cresceu ouvindo as suas histórias, até que um dia ele é preso e ela terá que ser a mantenedora de sua família.

Num lugar onde as mulheres não podem sair sem a companhia de um homem, ela será capaz de enfrentar grandes desafios pelos seus. O filme está disponível na Netflix.

A Bailarina

Dirigido por Eric Summer e Eric Warrin, o longa-metragem conta a história de Felice, uma órfã que decide fugir para realizar o seu sonho: ser bailarina. E para isso ela vai contar com a ajuda do seu amigo Victor, um inventor de geringonças bem atrapalhado.

Ao chegarem em Paris, Felice consegue se passar por outra pessoa a fim de concorrer à vaga de bailarina no Ópera de Paris para dançar o Quebra-Nozes.

Ao ser descoberta pela trapaça, ela consegue uma nova chance recheada de muitas aventuras. O filme foi lançado em 2017 e é uma co-produção entre França e Canadá. Está disponível no Youtube e na plataforma Netflix

 

RECOMENDAMOS






Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.