Falar sobre inclusão é sempre uma questão delicada, ainda mais quando se trata do universo infantil. É necessário um debate franco, direto para provocar respeito e a empatia. Neste ponto, o uso de animações acerta o alvo em cheio!

Abaixo, uma lista de desenhos animados para  toda família. Uma oportunidade para se discutir e perceber o que falta para construir uma sociedade mais inclusiva. Pode preparar a pipoca e aperte o play!

1 . Longe de vista (Out of Sight)

Este curta-metragem foi realizado em 2008 pelos alunos da Universidade de Artes de Taiwan. Ele narra a história de uma menina cega que após ser assaltada, ela perde o seu cão-guia e tem que se virar sozinha na agitação da cidade. A partir daí, é muito interessante acompanhar como esta menina “vê” o mundo, como ela explora seus outros sentidos e sua imaginação.

 

2. Por que Heloísa?

O filme foi inspirado no livro homônimo de Cristina Soares, que também escreveu o roteiro.  Trata-se de uma história real, de uma menina que tem paralisia cerebral e chega numa sala de aula em que as outras crianças não são deficientes.  A abordagem da inclusão leva em conta a curiosidade dos colegas de turma e os desafios enfrentados pela escola para que a personagem tenha o direito à educação de maneira plena. O filme tem também uma versão em libras neste link (https://vimeo.com/62175113)

 

3. O presente (The Present)

Este é um curta emocionante com um final surpreendente. Produzido em 2014, ele foi inspirado na tirinha do cartunista brasileiro Fábio Coala. ” O Presente” traz a história de um menino vidrado em videogames, que recebe de sua mãe um cachorrinho de presente. E ao perceber que o animal não tem uma das patas, a rejeição é imediata.

O diretor e roteirista Jacob Frey aborda com maestria como esta relação que começou nada amistosa foi se transformando em pura amizade. O filme percorreu mais de 180 festivais e ganhou 50 prêmios.

 

 

4. Tamara

Realizado pela Houseboat Animation Studio em 2013, o curta traz a história de uma menina negra e surda que deseja ser bailarina. Apesar das dificuldades para a realização do seu sonho, Tamara se mantém fiel ao seu desejo.

 

5. Esse é o ponto

Um ponto de ônibus é o cenário por onde circula e interage todo tipo de pessoa. Toda a concepção e realização ficou por conta dos alunos do ensino público de Campinas dentro da ação educativa “Ciência e Arte nas Férias-2011” da UNICAMP. Este grupo participou do projeto “Construindo a Diferença com a Diferença: Cartilha de Acessibilidade” onde os alunos foram sensibilizados com entrevistas e palestras sobre o tema em questão e depois criaram o roteiro/storyboard, animaram os personagens e gravaram os sons da animação.

 

6. Brincadeirantes

Criado em 2014 por Paulo Henrique Machado, o curta mostra a experiência vivida pelo próprio diretor, que na época foi ao parque de diversão com um tio. O passeio ia se tornando frustrante na medida que os funcionários do parque o tratavam como um coitadinho. Paulo Henrique vive ligado à um respirador artificial desde um ano de idade e este seu projeto foi financiado totalmente pela plataforma Catarse.

 

7. Cuerdas (Cordas) 

Escrito e dirigido pelo espanhol Pedro Solís García , a produção de 2014 traz a história da relação entre Maria e um menino que tem paralisia cerebral, ambos estudam no mesmo internato.  O curta mostra o amor incondicional da menina com o novo amigo e ela não mede esforços para que ele faça parte da rotina da escola como qualquer um. O curta recebeu o prémio Goya de Melhor Curta-Metragem de Animação . O Ministério da Cultura espanhol recomendou “Cuerdas” por sua vocação educacional.  O diretor se inspirou na sua filha que é muito próxima do irmão com paralisia cerebral. O filme tem legendas em português.

 

8. Milly e Molly

Esta é uma série apresentada por 2 amigas de colégio, uma branca e outra negra. Cada episódio passa uma mensagem clara sobre valores importante como a honestidade, a persistência, a responsabilidade e a capacidade de perdoar.  No episódio Elisa, as protagonistas falam do respeito que se deve ter com a nova amiga de sala de aula que é cega, que por sua vez, se mostra uma pessoa bem independente e bem humorada. A série foi produzida originalmente pelo Disney Channel e é exibida também no Discovery Kids.

 

9. Min e as mãozinhas

Esta série foi concebida pelo animador Paulo Henrique dos Santos para a comemoração do Dia do Surdo, que é 29 de setembro, mas o lançamento foi no dia 26 de 2018. É o primeiro desenho animado em libras e cada capítulo ensina cinco sinais diferentes.

O público alvo são crianças surdas entre 3 a 6 anos de idade e já tem 5 episódios no canal da Min e as Mãozinhas no Youtube, mas o diretor que produzir mais 8 a fim de completar a primeira temporada da série com 13 episódios. Para isso, Paulo Henrique lançou na plataforma Apoia-se  uma campanha de financiamento coletivo. Cada episódio tem um custo em torno de R$ 2.500,00. As doações são a partir de R$10,00.

 

10 . Scarlett

Scarlett é um curta baseado numa história real que fala sobre uma menina que tem a perna amputada em consequência de um câncer e precisa se adaptar física e emocionalmente a esta nova realidade. Ao final do desenho uma frase do bispo sul-africano Desmond Tutu dedicada aos que têm esperança em superar os desafios.

 

Fonte: Somos todos gigantes   

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Revista Ecos da Paz
Viver em harmonia é possível quando abrimos o coração e a mente para empatia e o amor.